Espetáculo teatral, Satyros 1. São Paulo, 2013

Cenografia e interpretação

 

A partir do universo de Ian Fosse, autor norueguês, a cenografia foi criada para trazer a sensação de atemporalidade e multiplas dimenssões. No texto, o autor não pontua as frases, deixando sua interpretação mutifacetada. O cenário, construído com acrílico insulfimado, permitiam ao espectador experenciar diferentes espelhamentos. Ora podendo se ver refletido no palco, ora enxergando através da película. Duas estruturas em formato de biombos caminhavam junto aos atores do espetáculo, formando diferentes formas e criando diversas camadas sobrepostas.